Polícia do Batalhão Naval

636
Polícia do Batalhão Naval
Polícia do Batalhão Naval

A Companhia de Polícia do Batalhão Naval é a uma unidade especializada do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil, que exerce tarefas específicas no âmbito da jurisdição da força naval.

História

A atual Companhia de Polícia do Batalhão Naval (CiaPolBtlNav) é oriunda da Companhia de Sapadores Pontoneiros (Cia SP) de 1948. No ano seguinte foi criado o Pelotão de Polícia Motorizado, precursor do Pelotão de Motociclistas. Naquele ano, comandava a Cia SP o então 1° Ten (FN) DOMINGOS DE MATTOS CORTEZ. A denominação de CiaPolBtlNav é datada de 19 de setembro de 1956, época em que esta era subordinada à Guarnição do Quartel Central, atual Batalhão Naval.

Desde a sua criação a CiaPolBtlNav primou pela disciplina, lealdade e prontidão no cumprimento das diversas tarefas a ela confiadas, sendo reconhecida por seu profissionalismo e senso de dever.

Pelotão de Motociclistas

Oriundos da Companhia de Sapadores Pontoneiros, o Pelotão de Polícia Motorizado, precursor do atual Pelotão de Motociclistas, foi criado em 11 de abril de 1949 e sua organização era constituída por pessoal pertencente à própria Companhia de Sapadores, hoje Companhia de Polícia do Batalhão Naval.

Ainda no ano de 1949, realizou-se um teste de classificação entre cabos e soldados que se voluntariaram para o Curso de Motociclista Militar.

Atualmente para ser um motociclista militar, precisa-se ser dos quadros de MO (motores e máquinas) ou IF (infantaria).

A Atividade do Motociclista Militar

Contribuir para a garantia da segurança dos deslocamentos, por áreas urbanizadas, de comboios militares e de autoridades: este é o propósito da atuação do motociclista militar, o nosso Batedor Fuzileiro Naval. Atualmente, somente duas Organizações Militares (OM) têm em sua composição Pelotões de Motociclistas, compostos por militares Batedores, capazes de prover escoltas: o Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília e a Companhia de Polícia do Batalhão Naval.

O Pelotão de Motociclistas da Companhia de Polícia do Batalhão Naval é composto por batedores formados pelo Curso Expedito de Motociclista Militar, conduzido pela própria OM. Neste curso, que tem a duração de nove semanas, são ministradas as disciplinas (teóricas e práticas) de Legislação de Trânsito, Escolta de Batedores, Direção Defensiva, Mecânica e Manutenção e Condução da Motocicleta que habilitam os militares do CFN a conduzir as motocicletas, utilizadas nas escoltas de batedores no Estado do Rio de Janeiro e em Brasília.

Conceitualmente, a Escolta de Batedores é formada por uma equipe constituída por Motociclistas Militares com a finalidade de garantir a fluidez e a segurança ao trânsito, por ocasião dos deslocamentos por perímetro urbano, de autoridades, de comboios militares que transportem armamentos, explosivos, munição e combustíveis e de viaturas que possuam excesso lateral. Cabe ressaltar que a segurança proporcionada pelo emprego de batedores é oriunda da fluidez do trânsito, estabelecida pela prévia interrupção de todas as vias que incidam no itinerário de deslocamento dos comboios. Dessa forma, obedecendo ao Código de Trânsito Brasileiro, que prevê que veículos precedidos de batedores têm prioridade de passagem, este emprego impede a interferência da população tanto de veículos como de pedestres, nos deslocamentos, evitando acidentes de trânsito e garantindo a integridade física de ambos.

O Pelotão de Motociclistas, nestes mais de sessenta anos de atividades, tem executado diversas escoltas de comboios militares e de dignitários. Desde a criação do Pelotão, os batedores operam as motocicletas Harley-Davidson e hoje, fruto do esforço da alta administração naval, a CiaPolBtlNav conta com moderno acervo destes meios, permitindo a manutenção de elevado grau de prontidão e preparo de seu pessoal.

COMPARTILHAR
Stive
Stive é o portal de Segurança e Defesa que está revolucionando a forma como a comunidade Law Enforcement encontra notícias relevantes. Stive é o destino on-line mais abrangente e confiável para as autoridades e instituições policiais em todo Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA