Idosa de 86 anos reage a assalto e mata o bandido

A idosa de 86 anos estava dormindo em sua casa, em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, quando foi surpreendida por um assaltante saindo do seu quarto, assustada, ela pegou um revólver e disparou três vezes contra o bandido. O criminoso foi atingido no peito e na perna e chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

“Eu pensei assim: é eu ou é ele agora. Meu coração pediu pra ser ele e eu atirei.”

Policial Militar – Os verdadeiros super-heróis, mas sem superpoderes

Todo mundo quando é criança se inspira em um ou em vários personagens de ficção, normalmente intitulados de “super-herói” e providos de poderes sobrenaturais. Estoricamente, são ditos seres superiores os quais, quando alguém está em perigo, aparecem e resolvem tudo a qualquer custo.

A maioria no seu dia a dia leva uma vida normal como qualquer pessoa, ou seja, tem família, trabalha, e até demonstra fragilidade em determinados momentos, dando até a impressão de que não possuem superpoderes; pois se os tivessem não passariam por dificuldades.

Porém, quando o dever os chama esses meros mortais vestem as suas armaduras, pegam as suas armas e saem sem destino, com a missão de lutar por justiça; o que não significa que irão fazer o bem a todo mundo. E, obviamente, comentem absurdos: destroem carros, casas e até cidades para combater os vilões que fazem o mal e querem acabar com a vida de pessoas inocentes. O bom disso tudo é que todos nós sabemos que no final tudo vai dar certo, mas ninguém acredita até que o entretenimento se acabe.

Particularmente, eu sempre assisti e ainda assisto a filmes de ficção científica. Acho interessante e considero como um momento de se imaginar vivendo uma situação lúdica, irreal, absurda. Entretanto, o propósito deste texto argumentativo não é discorrer a respeito de personagens de estórias em quadrinhos, mas falar um pouco de um personagem real, de um herói de carne e osso: O policial.

Esse personagem é um ser humano comum, tem família, passa por dificuldades, exerce uma atividade complexa, mas diferentemente dos super-heróis dos filmes, não tem superpoderes. E quase nunca é visto como um herói; quem dirá na condição de um super-herói.

Pelo contrário, muitas vezes esse mesmo policial não consegue sequer resolver os seus problemas e tem que vestir a sua farda, pegar a sua arma, se tiver sorte terá um colete antibalístico para proteger a região torácica, como se a cabeça fosse à prova de balas, para atender o seu chamado, cumprir com o seu dever, à espera do inesperado e em defesa da sociedade.

É fato que na polícia, assim como em qualquer outra profissão, há os bons e os maus. Porém, quando se tem oportunidade de conhecer o cotidiano das polícias observa-se que nessas instituições, de um modo geral, há milhares de bons, ou melhor, excelentes profissionais que tem orgulho do que fazem. E mesmo desprovidos de superpoderes vão à luta, arriscam as suas vidas, diariamente, em prol daqueles que muitas vezes nem o conhecem.

São verdadeiros super-heróis que trabalham, diuturnamente, à espera de uma missão a ser cumprida, custe o que custar. Consequentemente, se for necessário o uso da força alguém sairá em desvantagem e pode ser que algum bem material seja danificado ou até mesmo destruído. Mas super-heróis tem superpoderes, não é verdade? E no caso desses os poderes sobrenaturais são a proteção divina e coragem que adquirem no cumprimento do dever.

Portanto, não devemos ficar contrariados quando assistirmos a uma ação policial em que a polícia trafegou com a viatura em alta velocidade, parou o trânsito e até utilizou da arma de fogo com o intuito de prender o vilão, ou o ladrão, que no final levou a pior. Afinal, os super-heróis das revistas são muito mais excêntricos e todo mundo torce por eles e aplaude as suas peripécias.

Bom, a intenção não é canonizar nenhum policial, tampouco convencer a sociedade a idolatrar os profissionais de segurança pública. Mas o intuito e provocar uma reflexão social sobre a importância que nós, sociedade de bem, damos às nossas polícias que são encarregadas de tão árdua missão.

Deve-se buscar, é claro, ter uma polícia capacitada e voltada para os interesses sociais. E as críticas são inevitáveis, já que estamos nos referindo a seres humanos. Mas ao mesmo tempo é necessário valorizar e reconhecer a importância de cada um desses nobres guerreiros que escolheram não uma profissão, mas um sacerdócio.

 

Sandro Nogueira de Rezende é 1º tenente lotado no 29º BPM (Goiatuba) e comanda a 3ª Cia Destacada de Joviânia-Go. É bacharel em Direito pela FAFICH e pós-graduado em Polícia Comunitária pela UNISUL.

Oração do Policial Militar

Senhor, muitos não sabem, mas Vós sabeis que não tenho dia certo, hora certa, local certo, obrigação certa, e a qualquer dia, a qualquer hora, onde houver alguém violando a lei, ali haverei de estar para fazê-la acatada e respeitada.

Senhor, Vós bem sabeis quão dura e difícil é minha missão. Quase sempre incompreendida pelos homens.

É triste, Senhor, empenhar-me no cumprimento de uma árdua missão e depois não me sentir recompensado, sendo injustamente alvo de todas as críticas, ataques e injúrias por uma imprensa apaixonada e mal informada.

É triste despedir-me do lar ao sair para um serviço e não poder, talvez, a ele retornar.

É triste, Senhor, partir alegre, feliz para o trabalho e em vez de retornar ao lar ser levado a um hospital.

Muitos não sabem, mas Vós sabeis, que num instante, numa fração de segundo, ante a iminência do perigo, terei de tomar uma decisão imediata, certa ou errada mas uma decisão que, mais tarde, calculada e friamente, na calma de um momento que não aquele, na tranqüilidade acolhedora de gabinetes, será apreciada e julgada.

Muitos não sabem, mas Vós sabeis que nas Vossas noites, nas madrugadas frias, estarei sozinho, anônimo, perdido nas ruas silenciosas e desertas, mas vigilante, velando para que a população tenha um sono tranqüilo, sem saber, sem ter certeza de que alguém, vela pelo sono dos que em casa ficaram.

Mas, apesar de tudo é compensador, é consolador o sentimento do dever cumprido e o que é mais importante:

Saber, Senhor, que sou útil à sociedade.

É consolador saber que a minha simples presença evitou que um delito se consumasse.

É consolador saber que o delinqüente que matou, que feriu, que assaltou, que perturbou a tranqüilidade alheia, não mais matará, não mais ferirá, não mais assaltará, não mais perturbará a ninguém porque foi entregue á Justiça.
É consolador ver o sorriso inocente das crianças alegres seguras nas escolas, nos parques, ao atravessarem as ruas, porque ali estarei sempre atento e vigilante.

Senhor, dai-me coragem e serenidade para enfrentar o inimigo da lei e da sociedade e que nunca, Senhor, nunca, seja obrigado a usar a arma que o Estado coloca em minhas mãos e que eu possa sempre empregar o poder da palavra, da persuasão, da astúcia e da inteligência.

E quando porventura, falharem todos esses argumentos e tiver que empregar a violência, iluminai-me, Senhor, para que eu possa usar tão somente o mínimo necessário.

Dai-me, enfim, coragem, força e ânimo para renovar diariamente, o compromisso solene que prestei perante Vós, de defender a honra e a integridade da pátria e da sociedade até com o sacrifício de minha própria vida.

Por Cap PM A. Pompeu

Estados do Nordeste recusam doação de “três oitão” do governo de São Paulo

A proposta de doar revólveres calibre 38, já obsoletos, da Polícia Militar de São Paulo ‘viajou’ até o Nordeste e Norte e do País, mas voltou sem aceitação. O que foi anunciado pelo governo paulista, em abril de 2012, como uma forma de ajudar Estados com forças de seguranças sucateadas foi visto pelos outros governos como um movimento na contramão da modernização dos armamentos das polícias militares. Até o momento, ninguém se mostrou interessado em receber essas armas e gastar dinheiro para fazer adaptações.

Os motivos para a recusa dos “três oitão” também são os mesmos que fizeram a polícia de São Paulo se mover no sentido da substituí-los: esse tipo de arma tem menor capacidade de tiros, é pouco veloz e não tem a precisão de uma pistola .40, atualmente utilizada pela PM paulista. Um disparo de revólver calibre 38, segundo especialistas, tem também muito mais chances de perfurar o alvo e ainda atingir inocentes ao redor.

Leia a reportagem completa na Tribuna do Norte

Polícia substituirá cães por urubus para encontrar corpos na Alemanha

Segundo o jornal português tvi24. A polícia alemã está usando uma nova e inesperada arma contra o crime: urubus capazes de encontrar corpos escondidos. Sherlock, Miss Marple e Columbo – os novos ‘detetives’ – emprestarão sua visão e olfato apurados à divisão de homicídios na tentativa de achar corpos ocultados. As aves foram ‘batizadas’ com nomes de famosos personagens ficcionais, astutos detetives de consagrados romances policiais. Leia mais

Tirinha: Abordagem Policial

Imagem

As técnicas policias preconizam que abordagem deve ser vigorosa a fim de neutralizar qualquer esboço ou reação por parte do abordado e para segurança de ambos, por isso, mantenha-se calmo e obedeça as ordens emitidas pelo policial.

Charge: Ah Negão!

Lembre-se: a abordagem policial é necessária para a sua segurança e de sua família.

PM vai substituir Exército em 3 comunidades do Rio

Agência Estado.

Começou na madrugada desta quinta-feira a substituição das tropas da Força de Pacificação do Exército por policiais militares, nos Complexos do Alemão e da Penha, no Rio, segundo a PM. A troca faz parte do processo de pacificação dos Complexos, que vai atingir as comunidades da Chatuba, Morro da Fé e Morro do Sereno.

Durante a substituição, a PM solicita a colaboração dos moradores, denunciando criminosos e seus esconderijos. Além disso, os moradores devem andar com documentos de identificação e os motoristas e motociclistas serão solicitados a mostrar documentos de propriedade de seus veículos, bem como a Carteira Nacional de Habilitação em dia. No caso das motos, também será exigido o uso de capacete.

Logo após a substituição dos policiais, começarão as ações de policiamento e revista à procura de criminosos que ainda possam estar atuando na área, como forma de preparar a chegada das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) nas comunidades, de acordo com a PM.

Cerca de 300 PMs estarão atuando nesta quinta-feira. As tropas da Força de Pacificação do Exército serão substituídas por soldados do

Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), BAC (Batalhão de Ações com Cães), Grupamento Aeromarítimo e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

Reconhecimento: Comunidade de Brasília se mobiliza nas redes sociais para que Sargento da PMDF que foi transferido retorne

Brasília conheceu mais um herói  por intermédio das mídias sociais. Trata-se do Sgt Vilanova, morador da cidade do Gama que trabalhou durante vinte e dois anos no Centro de Ensino Especial para Deficientes Visuais ajudando alunos e a comunidade em geral. O policial foi transferido há um ano para o patrulhamento de rua e a comunidade fez um abaixo-assinado requerendo o retorno do guardião àquele o Centro de Ensino.

Emocionado com a iniciativa da população, o sargento comenta que sua atuação vai além das atribuições de militar: “Aqui eu sou policial, psicólogo, pai… Eu honro essa farda e adoro trabalhar com essas pessoas”, disse orgulhoso. O trabalho profissional do sargento foi reconhecido mediante uma publicação de um   usuário do facebook que contou com 1.475 comentários, 3.650 compartilhamentos e 8.033 likes, em menos de 48h.

Aprovado na Câmara Federal relatório que regulamenta Guardas Municipais

Muitos servidores das guardas de diversos municípios brasileiros estiveram na reunião ordinária da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado nesta Quarta(30), aguardando leitura do relatório, que foi  aprovado por unanimidade.

A espera demorou nove anos com mais de dez relatórios rejeitados. Durante a leitura do relatório, o relator ressaltou que o texto foi trabalhado em conjunto com os membros da Comissão de Segurança e com a Secretária Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça. “O texto avançou e finalmente aprovamos uma regulamentação para este importante segmento social que vai refletir positivamente na segurança pública de nosso país”, disse Francischini.

A lei vai permitir que os guardas municipais exerçam suas atividades em harmonia com as Polícias Militar, Civil e Federal, em trabalho conjunto e integrado, proporcionando maior eficácia na manutenção da ordem pública.

Rita Lee indenizará PMs por dano moral

A cantora Rita Lee, que pensou que iria desmoralizar a polícia nordestina gratuitamente se deu mal. Pelo menos 16 policiais militares entraram com ações por danos morais contra a cantora Rita Lee. O advogado de 7,  pediu a indenização de R$ 24.880 para cada militar agredido verbalmente pela artista. As ofensas aconteceram depois do show de despedida do Sergipe.

Na semana passada, a Justiça propôs a Rita Lee que doasse o cachê, de R$ 115 mil, para o Fundo Municipal para Criança e Adolescente da Barra dos Coqueiros e prestasse serviços à comunidade por três meses, para não dar prosseguimento à ação.

Fonte: Exame

Países da ONU recomendam fim da Polícia Militar no Brasil‎

Esta sendo difundido em dezenas de sites de notícias importantes, como nas revistas Exame e Veja, Carta Capital etc. que o Conselho de Direitos Humanos da ONU pediu nesta quarta-feira(30) ao Brasil maiores esforços para combater a atividade dos “esquadrões da morte” e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais(autotutela).